Linha do tempo

Acompanhe um pouco da nossa longa história de sucesso.

1888
Pioneirismo

Inauguração da primeira fábrica de papel do Brasil e da América Latina na cidade de Salto, interior de São Paulo chamada de "Papel de Salto".

1962
Uma nova expansão

Construção de um novo edifício e de uma terceira máquina de papel (PM3).

1976
Papel-Moeda Nacional

O Banco Central do Brasil e a Casa da Moeda do Brasil lançam uma licitação para produzir localmente o papel-moeda do país.

A Arjomari em joint venture com a Papel Simão, vence a licitação contra um consórcio liderado pela Portals (Thomas De La Rue) e Papel Ripasa.

 

1975
Máquina 2

A máquina de papel 2 (PM2) é atualizada para a tecnologia de Forma Redonda, capaz de fazer o Papel-Moeda e Papéis de Alta Segurança. Esta máquina ainda é até hoje a única na América Latina com essa tecnologia.

1977
Expertise Francesa

Inicio da fabricação da marca d'água: a Arjomari transfere para a fábrica de Salto sua tecnologia e know-how para produzir internamente seus próprios moldes e rolos bailarinos.

1978
A primeira cédula

A Casa da Moeda do Brasil recebe o primeiro lote de Papel-Moeda fabricados de forma nacional.

Primeira cédula, impressa pela Casa da Moeda do Brasil utilizando o papel de Salto, 1978.

1981
Um novo aprimoramento

Aprimoramento e modernização da Máquina 1 (PM1), permitindo melhor qualidade na gramagem, umidade e em outras características referenciadas à Colorimetria.

Início da produção de papéis base para laminados plásticos (“papéis decorativos”).

1990
Grupo Arjowiggins

Fusão entre as empresas Arjomari e Wiggins-Teape-Appleton para criar o Grupo ArjoWiggins.

1992
VCP Votorantim

VCP Votorantim - Papel e Celulose adquire a Papel Simão.

1999
Arjowiggins Security

A ArjoWiggins adquire as ações da Votorantim e detém 100% da fábrica de papel de Salto.

A fábrica de papel Salto passa a fazer parte da ArjoWiggins Security.

2001
Máquina KURZ

Aquisição de uma máquina Kurz para aplicação de bandas holográficas (foil).

2006-2013
Aprimoramento no papel-moeda e papéis de segurança

Transferências de diversa tecnologias internacionais e investimentos significativos feitos pela ArjoWiggins na máquina de papel 2 (PM2) ao longo dos anos:

  • Um novo molde adicionado à máquina, permitindo uma melhor formação do papel.
  • Novas tecnologias de marca d'água (eletrotipo, marca d'água de Pixel);
  • Introdução de fios largos;
  • Aumento da velocidade e produtividade;
  • Scanners e câmeras adicionados para controle de qualidade. on-line; possibilidades extra de produção.
2015
Grupo Italiano adquire a fábrica de Salto

Aquisição da fábrica de Salto pela Fedrigoni, um Grupo Italiano centenário na fabricação de papel. A planta da fábrica nesse período já possuía 98 mil metros quadrados, preservando a arquitetura e o cenário desde sua fundação no século XIX.

2015-2018
Aprimoramento na PM3

Investimento significativo feito pela Fedrigoni na máquina de papel 3 (PM3). Aumento de velocidade, produtividade, competitividade e mais capacidade.

2017
Marca D'água com novas tecnologias

A fabricação da marca d'água é atualizada com novas tecnologias e equipamentos, permitindo um processo amplamente automatizado.

2020
Aquisição por um grupo brasileiro de investidores

Aquisição da Fábrica de Papel de Salto por um novo grupo brasileiro de investidores. 

2022
Blendpaper - Rebrand da fábrica de Papel de Salto

A Fedrigoni Brasil Papéis passa a se chamar Blendpaper, mantendo a tradição e expertise de mais de 130 anos de história.

2022
BP Security - Marca dedicada para o papel-moeda e papéis de segurança

Início oficial da marca BP Security da Blendpaper. O seu nome dedica-se exclusivamente à produção de papel-moeda e papéis de segurança.